Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.15/875
Título: O impacto da NCRF 22 - norma contabilística dos subsídios do governo e divulgação de apoios do governo:uma análise comparada
Autor: Justino, Sílvia João Lopes
Orientador: Lopes, Ilídio Tomás
Palavras-chave: POC
SNC
NCRF 22
Subsídios
Rácios
Data de Defesa: 12-Jul-2013
Resumo: Este trabalho incidirá sobre a NCRF 22 - Norma Contabilística dos Subsídios do Governo e Divulgação de Apoios do Governo e pretende identificar quais as principais diferenças entre o normativo anterior (POC – Plano Oficial de Contabilidade) e o atual (SNC – Sistema de Normalização contabilística), no que se refere à contabilização dos Subsídios. Para além disso, pretende perceber-se qual o impacto dos subsídios nas organizações em estudo, bem como o impacto da NCRF 22 nos indicadores de gestão. Neste contexto, foram selecionadas entidades que já beneficiaram de subsídios geridos pela Leader Oeste, sendo portanto um estudo de caso. Foram analisados os dados secundários recolhidos dos Relatório & Contas à data de 31 de dezembro referente aos anos: pré-projeto, finalização do projeto e pós- projeto. Do estudo conclui-se que o impacto da atribuição de subsídios foi na sua generalidade positivo permitindo mesmo a criação de postos de trabalho. Verificou-se que os Rácios de Rendibilidade e Liquidez melhoraram com a realização do projeto de investimento, assim como os Rácios de Estrutura, com exceção do rácio Cobertura de Encargos Financeiros. Esta situação justifica-se pela ausência de capacidade financeira dos promotores, encontrando-se em alguns casos, obrigados a recorrer ao financiamento externo o que implicou um aumento dos Rácios de Endividamento. Mediante a análise comparativa dos indicadores de gestão obtidos através de ambos os normativos conclui-se que as diferenças encontradas, no que diz respeito ao reconhecimento contabilístico dos subsídios, geram por si só, alterações em todos os rácios apresentados. No entanto, verifica-se que o impacto não é generalizado registando-se maior impacto positivo nos Rácios de Estrutura nomeadamente na Autonomia Financeira e na Solvabilidade. Se o objetivo era não penalizar as entidades nacionais no apuramento de indicadores económico-financeiros, pode concluir-se que o objetivo foi atingido com sucesso.
Descrição: Dissertação, Mestrado, Contabilidade e Finanças, Instituto Politécnico de Santarém, Escola Superior de Gestão e Tecnologia, 2013
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.15/875
Aparece nas colecções:Dissertações de Mestrado_ESGTS
Mestrado em Contabilidade e Finanças

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
SilviaJustino_Mestrado_2013.pdfDissertação1,89 MBAdobe PDFVer/Abrir
SilviaJustino_MestradoCapa_2013.pdfCapa1,36 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.