Repositório Científico do Instituto Politécnico de Santarém >
Escola Superior Agrária >
Comunicações em conferências e congressos_ESAS >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10400.15/73

Título: Interacções entre o meio ambiente e parasitas na Ilha de Santiago (Cabo Verde)
Autor: Crespo, Maria Virgínia
Rosa, Fernanda
Évora, Conceição
Palavras-chave: Ecossistema
Comunidade aquática
Biótopo
Parasita
Hospedeiro
Mudança de clima
Ilha de Santiago
Cabo Verde
Issue Date: 11-Jul-2009
Editora: Associação Portuguesa de Desenvolvimento Rural
Citação: CRESPO, M.V.; ROSA, F.; SILVA, M.C. (2009) - Interacções entre o meio ambiente e parasitas na Ilha de Santiago (Cabo Verde), 2º Congresso Lusófono de Ciência Regional/1º Congresso de Ciência Regional de Cabo Verde, Cidade da Praia, República de Cabo Verde, de 9 a 12 de Julho. In: Proccedings APDR, 278-296. ISBN 978-989-96353-0-2
Resumo: Na Ilha de Santiago (Cabo Verde) a localização e a colonização promoveram a introdução de várias espécies com diferentes origens zoogeográficas. Algumas das características geomorfológicas, hidrogeológicas e climáticas observadas em 21 ecossistemas aquáticos dulçaquícolas constituíram factores fundamentais que permitiram e favoreceram a instalação e a manutenção de populações de moluscos, tais como Lymnaea natalensis (Lymnaeidae) e Bulinus forskalii (Planorbidae), que podem assegurar o ciclo de vida e a sobrevivência de alguns parasitas, nomeadamente as espécies residentes Fasciola gigantica e Schistosoma bovis. A importância destes reflecte-se nos valores de prevalência intra-molusco de 6,15% e de 18,23%, e nos bovinos, seus HV preferenciais, de 50,00% e 6,67%, respectivamente. A transmissão dos parasitas é facilitada pela grande mobilidade ou pela capacidade de flutuação evidenciada pelas cercárias emitidas ou recentemente enquistadas, pelo comportamento dos HV, pela escassez das colecções de água e pela dependência destes recursos. A antropização destas colecções, associada a alterações climáticas locais tem contribuído para uma decréscimo do número de biótopos dulçaquícolas, de cerca de 50,00% no total dos biótopos identificados nas últimas décdas
URI: http://hdl.handle.net/10400.15/73
ISBN: 978-989-96353-0-2
Appears in Collections:Comunicações em conferências e congressos_ESAS

Files in This Item:

File Description SizeFormat
CrespoMV_ParasISantia09.pdf525,4 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


  © Instituto Politécnico de Santarém - Contacto - Feedback - Statistics
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia