Repositório Científico do Instituto Politécnico de Santarém >
Escola Superior Agrária >
Comunicações em conferências e congressos_ESAS >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10400.15/73

Título: Interacções entre o meio ambiente e parasitas na Ilha de Santiago (Cabo Verde)
Autor: Crespo, Maria Virgínia
Rosa, Fernanda
Évora, Conceição
Palavras-chave: Ecossistema
Comunidade aquática
Biótopo
Parasita
Hospedeiro
Mudança de clima
Ilha de Santiago
Cabo Verde
Issue Date: 11-Jul-2009
Editora: Associação Portuguesa de Desenvolvimento Rural
Citação: CRESPO, M.V.; ROSA, F.; SILVA, M.C. (2009) - Interacções entre o meio ambiente e parasitas na Ilha de Santiago (Cabo Verde), 2º Congresso Lusófono de Ciência Regional/1º Congresso de Ciência Regional de Cabo Verde, Cidade da Praia, República de Cabo Verde, de 9 a 12 de Julho. In: Proccedings APDR, 278-296. ISBN 978-989-96353-0-2
Resumo: Na Ilha de Santiago (Cabo Verde) a localização e a colonização promoveram a introdução de várias espécies com diferentes origens zoogeográficas. Algumas das características geomorfológicas, hidrogeológicas e climáticas observadas em 21 ecossistemas aquáticos dulçaquícolas constituíram factores fundamentais que permitiram e favoreceram a instalação e a manutenção de populações de moluscos, tais como Lymnaea natalensis (Lymnaeidae) e Bulinus forskalii (Planorbidae), que podem assegurar o ciclo de vida e a sobrevivência de alguns parasitas, nomeadamente as espécies residentes Fasciola gigantica e Schistosoma bovis. A importância destes reflecte-se nos valores de prevalência intra-molusco de 6,15% e de 18,23%, e nos bovinos, seus HV preferenciais, de 50,00% e 6,67%, respectivamente. A transmissão dos parasitas é facilitada pela grande mobilidade ou pela capacidade de flutuação evidenciada pelas cercárias emitidas ou recentemente enquistadas, pelo comportamento dos HV, pela escassez das colecções de água e pela dependência destes recursos. A antropização destas colecções, associada a alterações climáticas locais tem contribuído para uma decréscimo do número de biótopos dulçaquícolas, de cerca de 50,00% no total dos biótopos identificados nas últimas décdas
URI: http://hdl.handle.net/10400.15/73
ISBN: 978-989-96353-0-2
Appears in Collections:Comunicações em conferências e congressos_ESAS

Files in This Item:

File Description SizeFormat
CrespoMV_ParasISantia09.pdf525,4 kBAdobe PDFView/Open

Please give feedback about this item
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


  © Instituto Politécnico de Santarém - Contacto - Feedback - Statistics
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia