Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.15/630
Título: A validade das dimensões culturais do GLOBE na predição de comportamentos de gestão
Autor: Teódosio, João
Robalo, A.
Palavras-chave: Dimensões culturais
Modelo GLOBE
Indicadores culturais
Valores culturais
Comportamentos de gestão
Data: Fev-2012
Editora: Instituto Politécnico de Santarém. Unidade de Investigação
Citação: TEODÓSIO, João ; ROBALO, A. - A validade das dimensões culturais do GLOBE na predição de comportamentos de gestão. Livro de resumos. Congresso Investigação e Desenvolvimento no IPS. Santarém, 2012. ISBN 978-972-762-358-7
Resumo: Neste artigo apresentamos os resultados preliminares da nossa investigação que pretende aferir da validade das dimensões culturais definidas pelo GLOBE (House et al., 2004) na predição de comportamentos de gestão medidos pelo Leadership Practices Inventory (Kouzes & Posner, 2003). Com este projeto pretendemos dar resposta a recentes chamadas da comunidade científica: (1) Hofstede (2010) refere que é necessária a validação externa do Modelo GLOBE; (2) alguns autores reportaram a necessidade de considerar outras variáveis, para além da cultura, na explicação das relações entre indivíduos e culturas, uma vez que a variância explicada pelos valores culturais é geralmente baixa (Kirkman Lowe & Gibson, 2006; Gelfand, Erez & Aycan, 2007; Leung et al., 2005; Gibson, Maznevsky & Kirkman, 2009). Para a realização deste artigo selecionámos duas dimensões culturais definidas pelo GLOBE: In-Group Collectivism e Assertiveness. Para cada dimensão o GLOBE apresenta indicadores para valores culturais e para práticas culturais. Como pretendemos medir práticas de gestão escolhemos apenas os indicadores relativos às práticas culturais. Para medir as práticas de gestão utilizámos o Leadership Practices Inventory (LPI), Self Instrument, 3 rd Edition (Kouzes & Posner, 2003). O questionário é composto por 5 fatores: Model the Way; Inspire a Shared Vision; Challenge the Process; Enable Others to Act and Encourage the Heart. Destes, escolhemos apenas dois: Inspire a Shared Vision e Enable Others to Act. Com base na revisão de literatura efetuada prevemos a existência de correlações positivas entre: (a) a dimensão cultural In-Group Collectivism e o fator Inspire a Shared Vision; (b) a dimensão cultural Assertiveness e o fator Enable Others to Act. O questionário foi aplicado a estudantes de mestrado na área da gestão, tal como outros autores o fizeram em estudos semelhantes (e.g.: Bass, 1985; Dorfman, 1997; Zagorsek, Jaklic & Stough, 2004; Aimar & Stough, 2007; Ergeneli, Gohar & Temirbekova, 2007). A nossa amostra é composta por estudantes pertencentes a 8 países: Brasil; China; Estados Unidos da América; Índia; Indonésia; México; Portugal e Turquia. Os resultados preliminares demonstram que ambas as hipóteses se confirmam, ou seja, as correlações são positivas e significativas. Os modelos de regressão efetuados demonstram que variância explicada pelos indicadores de práticas culturais é de 82% e 45%, respetivamente. Podemos assim concluir que as dimensões escolhidas do Modelo GLOBE são válidas para a predição dos comportamentos de gestão selecionados e que a variância explicada é superior à reportada em estudos similares.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.15/630
ISBN: 978-972-762-358-7
Versão do Editor: http://www.ipsantarem.pt/wp-content/uploads/2012/03/Livro-de-resumos_CongressoUIIPS_8e9-2-2012.pdf
Aparece nas colecções:Comunicações em conferências e congressos_ESGTS

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
joaoteodosio_UIIPS_2012.pdf206,96 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.