Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.15/616
Título: A conceção dos bebés: As ideias existentes num grupo de alunos do 1.º Ciclo do Ensino Básico
Autor: Almeida, Andreia
Godinho, Maria
Cordeiro, Sónia
Filipe, Verónica
Linhares, Elisabete
Palavras-chave: Conceção dos bebés,
Conceções alternativas,
Educação sexual
1.º Ciclo do Ensino Básico
Data: 5-Mai-2012
Editora: Instituto Politécnico de Santarém. Escola Superior de Educação
Citação: Almeida,A., Godinho,M.,Cordeiro,S., Filipe,V. & Linhares,E. (2012) - A conceção dos bebés: As ideias existentes num grupo de alunos do 1.º Ciclo do Ensino Básico [Poster]. Seminário “O Corpo – Memória e Identidade", Lisboa, 2012
Resumo: A implementação da educação sexual continua a ser um processo difícil, no entanto, a sua promoção visa ser garantida desde a Lei n.º 120/99, regulamentada pelo Decreto-Lei nº 259/2000 de 17 de outubro, nomeadamente através do estabelecimento de um programa para a promoção da saúde e sexualidade humana desde o ensino básico. Segundo Frade, Marques, Alverca e Vilar (2006) a educação sexual pode ser encarada como a realização de atividades com carater informativo, versando temas relacionados com a saúde reprodutiva, ou seja, a anatomia, a fisiologia da reprodução humana e a contraceção. A educação sexual nas escolas tem assim como objetivo transmitir conhecimentos, educar para uma sexualidade potencialmente gratificante e responsável. No 1.º Ciclo do Ensino Básico (1.º CEB) as crianças começam a ter contacto com o tema da sexualidade no 3º ano de escolaridade. Desta forma, considerou-se pertinente aferir os conhecimentos que alunos do 4º ano apresentam sobre fecundação. Os dados para esta investigação foram obtidos através do recurso ao desenho. O desenho é, para alguns autores (Barbosa-Lima & Carvalho, 2008; Costa, Costa, Lima, & Leite, 2006; Pereira, s.d), um instrumento de recolha de dados que permite aceder às representações individuais de quem o realiza, permitindo ao professor ou investigador compreender o que os alunos sabem sobre um determinado tema. Por outro lado, as representações iconográficas são, para esta faixa etária, uma boa forma de expressar o que as crianças sabem, pensam ou compreendem. Os participantes deste estudo foram alunos com idades compreendidas entre os 9 e 10 anos de uma turma do 4º ano do 1.º CEB de uma escola do distrito de Santarém, no concelho de Coruche. Os resultados obtidos evidenciam que, para a maioria das crianças, a progenitora tem um papel relevante no processo reprodutivo visto que a figura feminina tem uma presença marcante na maioria dos desenhos. Foram poucos os alunos que souberam explicitar a ocorrência de fecundação através da representação da união dos gâmetas masculino e femino. Foram identificadas algumas conceções alternativas (CA) quanto à forma como se concebe um bebé. Alguns desenhos representam espermatozoides 3 distribuídos pelo corpo da mulher. Observa-se ainda uma ligação indevida do embrião ao umbigo da mãe pelo cordão umbilical. Simultaneamente, alguns registos personificam o gâmeta masculino atribuindo-lhe características físicas humanas como a existência de olhos e boca. No entanto, muitas crianças têm a perceção que o tempo de gestação do bebé é de 9 meses. Em suma, e em consonância com o estudo de Menino e Correia (2001), é possível referir que o sistema reprodutor é entendido como uma “máquina” que fabrica o novo ser. Após a análise dos desenhos, constata-se que grande parte dos intervenientes da referida investigação ainda não desenvolveu conceitos explícitos sobre a fecundação. De acordo com o estudo realizado, considera-se pertinente apostar em metodologias de ensino propícias a um conhecimento científico mais ajustado ao nível da educação sexual para o 1.º CEB.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.15/616
Aparece nas colecções:Posters em conferências e congressos_ESES

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
PropostaResumo.Bebés_Poster_ULusófona_500palavras.pdf20,96 kBAdobe PDFVer/Abrir
Poster_Bebés_Seminário_Lisboa2012.pdf467,77 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.