Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.15/318
Título: "...Porque quando sai de casa fica invisível e eu não sei onde ele está!": Imergindo nos meandros das culturas da infância...Para a desocultação dos amigos imaginários das crianças...
Autor: Ferreira, Margarida
Palavras-chave: Crianças
Amigos imaginários
Culturas da infância
Reprodução interpretativa
Data: 2008
Editora: Instituto Politécnico de Santarém, Escola Superior de Educação
Citação: FERREIRA, Margarida Rosa Ramos - "...Porque quando sai de casa fica invisível e eu não sei onde ele está!": Imergindo nos meandros das culturas da infância...Para a desocultação dos amigos imaginários das crianças... Revista Interacções. Nº10 (2008), p.14-38
Resumo: O presente artigo responde aos objectivos de uma investigação que, ancorada na Sociologia da Infância, quis averiguar e perceber como é que as crianças manifestam os amigos imaginários nas suas vidas, através da recolha de narrativas das crianças, em contexto de Jardim de Infância. Ao tomarmos as crianças como actores sociais competentes no processo de socialização estamos a reconhecer-lhes um papel activo na construção e determinação das suas vidas e nas vidas dos que as rodeiam (adultos e crianças); valorizando-se a sua capacidade de produção simbólica e a constituição das suas práticas em sistemas organizados, ou seja, em culturas. É nos meandros das culturas da infância que situamos os Amigos Imaginários, as “criações invisíveis”, ou objectos personificados, a “quem” as crianças dotam de vida e com os quais interagem; e cuja fundamentação da sua génese necessitou de um cruzamento multidisciplinar, com a Psicologia, Medicina e Neurobiologia. “Criações invisíveis” que, assumindo o papel de amigos ou irmãos das crianças, se tormam seus companheiros nas aventuras quotidianas… os seus aliados nos momentos “difíceis”… a expressão (e o alcance) da vontade e do desejo… a possibilidade de eliminar os constrangimentos que a realidade apresenta e de viver as oportunidades da fantasia… explorando (e aprendendo com) todas as (suas) contradições e possibilidades… (re)construindo e (re)construindo-se… - The present article responds to the objectives of an investigation which was anchored in the sociology of childhood and intended to discover, through children’s narratives gathered in Kindergarten context, how they demonstrate their imaginary friends in their lives. When we regard children as competent social actors in the socialization process we are taking into consideration their active role in the construction and determination of their lives and of those around them (children or adults), valuing their ability of symbolic production and the constitution of their practices in organized systems or cultures. It is in the middle of childhood cultures that we situate Imaginary Friends, the “invisible creations” or personified objects to “whom” children endow with life and with whom they interact; the fundament of their genesis required a multidisciplinary crossing with Psychology, Medicine and Neurobiology. “Invisible Creations” that, assuming children’s friends or siblings role, become their companions in everyday adventures…their allies in “difficult” times…the expression (and accomplishment) of will and desire…the possibility of ending the troubles that reality presents and of living their fantasy opportunities…exploring (and learning with) all (their) contradictions and possibilities… (re)constructing and (re)constructing themselves.
URI: http://hdl.handle.net/10400.15/318
ISSN: 1646-2335
Versão do Editor: http://nonio.eses.pt/interaccoes/artigos/J2.pdf
Aparece nas colecções:Volume 4 - 2008 - nº10

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
J2.pdf118,04 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.