Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.15/180
Título: Ectoparasitas em animais de companhia na cidade de Luanda
Autor: Crespo, Maria Virgínia
Rosa, Fernanda
Oliveira, C.
Palavras-chave: Echidnophaga gallinacea
Ctenocephalides felis strongylus
Rhipicephalus spp.
Luanda, Angola
Data: Out-2010
Citação: Crespo, M.V.; Rosa, F.; Oliveira, C. (2010) - Ectoparasitas em animais de companhia na cidade de Luanda. II Congresso Angolano de Medicina Veterinária, XII Congresso de Medicina Veterinária em Língua Portuguesa, Huambo, Angola,19-21 Outubro.
Resumo: Os ectoparasitas nos animais domésticos de companhia, com especial destaque para o cão e o gato, representam um grave problema em saúde pública, não só pela espoliação que exercem sobre o hospedeiro, mas também pelas diversas infecções que podem transmitir, especialmente à população humana. Assim, o presente trabalho refere-se aos resultados preliminares de um estudo em curso sobre o conhecimento das espécies de ectoparasitas existentes em animais domésticos que recorrem a profilaxia e tratamento numa clínica de pequenos animais, em Luanda. A pesquisa, colheita manual e conservação de ectoparasitas (Siphonaptera e Ixodida) realizou-se entre 2008 e 2010, e os estudos taxonómicos posteriores basearam-se em Hopkins & Rotchild (1953), Ribeiro (1974) e Walker et al. (2000). Foram observados um total de 38 animais (37 cães e um gato), tendo-se observado um total de 391 ectoparasitas (3 larvas de Diptera, 63 exemplares de Siphonaptera e 325 espécimes de Ixodida). As cargas parasitárias foram de 6,3 exemplares por animal para Siphonaptera e de 10 para Ixodida. Identificaram-se Echidnophaga gallinacea num único cão (2,63%), Ctenocephalides felis strongylus em nove cães e um gato (26,32%) e Rhipicephalus spp. em 33 cães (86,84%). Observaram-se ainda larvas de Diptera associadas a míases cutâneas em 2 animais (5,26%). Exceptuando as espécies do género Rhipicephalus, todas as outras encontram-se já mencionadas para os hospedeiros estudados. A identificação taxonómica do género Rhipicephalus ainda não está concluída devido à existência de grandes semelhanças interespecífica e à grande variabilidade morfológica intraespecifica, cujos resultados irão ser alvo de trabalhos posteriores.
Descrição: Apresentação em Painel
URI: http://hdl.handle.net/10400.15/180
Aparece nas colecções:Posters em conferências e congressos_ESAS

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
CRESPOMV-ANIMDOM2010.pdf3,3 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.